terça-feira, 18 de junho de 2013

COMERCIAIS DA COPA X MANIFESTAÇÕES X NOTICIÁRIO

Na TV, principalmente, alguns comerciais sobre a Copa ficaram muito engraçados quando veiculados, paralelamente as notícias sobre as manifestações. O da Fiat, o carro que mais entende ruas, ou algo parecido, conclama as pessoas a ocuparem as ruas de verde e amarelo. Agora é BRA. Bra de Brasil, Bra de Bradesco... esse chiii, ficou fora de contexto mesmo. Tem muito mais, cada um mais deslocado da realidade que o outro.

Agora fora de contexto ontem estava mesmo o âncora do Jornal Nacional. Com a cara de cão chupando manga, seo Bonner fazia malabarismo para de Fortaleza tentar chamar a atenção para o jogo entre a Nigéria e sei lá mais quem. Enquanto o Brasil fervia, o camarada tentava atrair a atenção do distinto público sobre a coreografia polinésia do único gol da equipe coadjuvante e... coitado rsss. Deve ter sido a pior escolha geopolítica do moço em toda a sua carreira.

N Globo News (e nas demais também) locutores, repórteres, comentaristas de todo o tipo e qualidade esgoelavam-se para tentar explicar o que estava acontecendo, torcendo desesperadamente pela ordem institucional, insistindo aos limites sobre a forma pacífica das manifestações e rotulando de minoria/mínima a turma do vamo-que-vamo que queria mesmo era quebrar com tudo e confrontar a política.

Em tempo: ainda vão gastar garganta pra explicar pq um monte de gente não quer nada pacífico e está mesmo afins de destruição. Antes que venham os comentários: tá o Estado não vai puder deixar a coisa descambar etc e tal. Mas o que fazer com esse "segmento"? Até onde irá a interferência desse pessoal? O que os movem?