terça-feira, 16 de julho de 2013

VEM AÍ MENOS CONTROLES SOBRE CAMPANHAS POLÍTICAS

Depois de recusarem a reforma política proposta pela presidente Dilma - o vice Michael Temer levou um pito ao posicionar-se contra a ideia - mas os deputados mais a vontade, estão discutindo projeto que torna a legislação eleitoral menos rigorosa. Um dos itens é o fim dos recibos de doações, hoje obrigatórios para os comitês eleitorais. A prestação de contas será feita com base nos extratos bancários. Além disso, quem tiver as contas de campanhas anteriores rejeitadas poderá se candidatar. O Fundo Partidário, formado por recursos públicos, poderá ser usado para pagar multas imputadas a partidos que cometerem irregularidades. Uma nova eleição será realizada sempre que um candidato vencedor seja cassado após as eleições (hoje o segundo colocado pode assumir, exceto quando o cassado tiver obtido mais de 50% dos votos no primeiro turno). E os candidatos poderão fazer campanha na internet a qualquer tempo, mesmo antes do início oficial da campanha nas ruas e na TV. O deputado federal Cândido Vaccarezza, do PT, é o relator do projeto.