quinta-feira, 22 de agosto de 2013

GOL RELUTA EM PUNIR FUNCIONÁRIOS E ADMITIR CULPA EM INCIDENTE COM CRIANÇA

A Anvisa diz que vai apurar os procedimentos adotados por piloto e funcionários da GOL, que tentaram impedir o embarque de uma criança de 4 anos, que sofre de uma doença de pele não contagiosa, conforme atestado por dois médicos presentes no episódio.

O problema, a meu ver, não está no fato, que pode ser até discutível, na exigência de um atestado por parte do piloto, "temeroso", talvez, de uma contaminação. O problema maior foi a grosseria e total falta de tato e educação da tripulação da Gol, que chamou inclusive a Polícia Federal para intervir no caso(?).

Apontando para a criança (o que é isso que ele tem), falando alto, constrangendo a família, expondo a criança a todos os demais passageiros (que por sinal foram solidários com os familiares) os funcionários da GOL se revelaram uns boçais, truculentos e nada justifica esse comportamento.

Custava perguntar reservadamente aos responsáveis pela criança qual a doença e que riscos ele poderia causar aos demais passageiros, sem provocar balbúrdia antes da decolagem. E baseado em que, depois do depoimento de uma médica que estava a bordo, assegurando que a doença não era contagiosa nem oferecia risco aos demais passageiros, tudo corroborado por médico a serviço da Infraero, convocado a bordo sob o pretexto mentiroso de atender a uma emergência, não foram aceitos os diagnósticos pelo tal de comandante, que ainda forçou o médico a retornar as instalações do aeroporto em busca de um carimbo, para coloca-lo em atestado exigido pela tripulação?

Melhor faria a Gol de treinar melhor sua tripulação e funcionários, pedir desculpas a família e aproveitar a oportunidade para fazer uma doação para as pesquisas médicas relacionadas às doenças genéticas, o caso dessa criança. Muito melhor do que ficar falando em apuração do caso e de providências que todos nós sabemos jamais virão.

O azar da companhia é que se trata do neto de pessoa famosa, que não pretende deixar as coisas como estão. Se fosse um anônimo qualquer....