domingo, 25 de agosto de 2013

MEDICOS BRASILEIROS NÃO TEM APOIO DA POPULAÇÃO. CULPA DELES MESMOS.


Noves fora toda a polêmica sobre o Programa Médicos para Todos, uma coisa fica bem clara: os médicos brasileiros não tem nenhum apoio da população para suas críticas ao programa.

Se os brasileiros são contra ou a favor do programa é outra história, embora seja muito difícil de imaginar que em um lugar que não possui médico nenhum as pessoas não estejam interessadas em, enfim, terem algum tipo de assistência na área da saúde.

Mas o fato é que os médicos brasileiros ao longo do tempo jamais se preocuparam, institucionalmente pelo menos, em lutarem por uma saúde melhor para a população. Agora estão levando o troco. O governo federal está disposto, sejam lá quais forem os seus motivos, a levar avante o programa. Se vai dar certo ou não são outros quinhentos. Mas a batalha dos médicos brasileiros, justa ou não, está perdida.

Quem nunca foi vítima da prepotência, do descaso, do desinteresse dos nossos médicos, principalmente se paciente do SUS ou dos malfadados planos privados de saúde? Recentemente se organizaram para impedir que outras categorias da área de saúde fossem autorizadas a realizar procedimentos mínimos ou mesmo específicos já consagrados e para os quais possuem a formação específica.

Agora, desejam que a população compreenda suas posições e fechem com eles na luta contra o programa. Não tem como conseguir isso.

OS CUBANOS
Agora, com relação aos cubanos, é claro que o processo é, para dizer o mínimo estranho. O dinheiro pago pelo governo brasileiro não chega diretamente dos profissionais. Passa pela tal de Organização Panamericana de Saúde, ou coisa que o valha, que repassa para o governo cubano que finalmente paga, o que quiser, para seus médicos. É trabalho escrevo sim senhor.

Seja como for, sejam quais forem as condições, a empreitada continua interessando os profissionais cubanos. Podem enfim sair do paraíso socialista, vão receber, por menor que seja o repasse do governo, mais do que recebem na ilha, terão acesso a inúmeras coisas, social e economicamente, que nem em sonho teriam na paradisíaca ilha. E, se alguém se der ao trabalho de investigar, outros cubanos que vieram antes, fizeram de tudo para se estabelecer por aqui.

Alguns conseguiram e estão muito satisfeitos. E, importante notar: os brasileiros que foram atendidos por eles se lembram da cortesia, preocupação e interesse demonstrado pela seu estado. Alguém já se sentiu assim com relação aos médicos brasileiros, com as devidas exceções que confirmam a regra?

Que a vinda dos estrangeiros não vai resolver os nossos problemas na área de saúde, qualquer um, minimamente informado sabe, mas que tomara que esse programa permita um repensar na relação entre médicos e pacientes e os nossos doutores saiam da redoma e do mundo encantado onde vivem e passem a ser parceiros efetivos da população em busca de uma saúde melhor para todos.

Em tempo o salário de um médico em Cuba gira em torno dos 25 a 41 dólares. Ou seja, tanto faz que o repasse para os que estão no Brasil fique entre 2 a 4 mil reais como parece que será. Vão estar no lucro, de qualquer forma.