quinta-feira, 19 de setembro de 2013

RIQUEZA MUSICAL PERDIDA NO PASSADO



Por falta de novas edições quase 100% dos álbuns de música brasileira estão fora do mercado. As gravadores sequer preservam adequadamente as matrizes sob sua guarda.

Somadas, Universal Music, Warner, EMI e Som Livre tem aproximadamente mais de 130 mil discos em seus acervos, mas apenas 3.600 são vendidos, hoje, oficialmente. Com isso artistas como Tim Maia, Vinicius de Moraes, Erasmo Carlos, Dorival Caymmi, Fagner, Edu Lobo, Maria Bethânia, Zé Ramalho, Nelson Cavaquinho, Cartola e muitos outros estão com muitos dos seus trabalhos fora do alcance do público.

O que termina acontecendo é interessados nas obras fora dos catálogos das gravadores começarem a garimpar as músicas em sites e blogs. Como os álbuns não são vendidos oficialmente pelas gravadoras, os artistas não recebem pela audição dos seus trabalhos. É o que acontece, por exemplo, com João Gilberto, que tem várias músicas vendidas em sites, como o iTunes, à sua revelia, que termina não recebendo pelas vendas.

O fato é que com isso perde-se parte importante da nossa riqueza cultural/musical e pelo visto vai ficar tudo por isso mesmo, até chegar a um ponto em que não será possível, sequer, recuperar tecnicamente todo esse acervo perdido.