segunda-feira, 28 de abril de 2014

E OS HAITIANOS? CADÊ A ANISTIA INTERNACIONAL?

A Anistia Internacional está a exigir providencias imediatas com relação ao assassinato do jovem Douglas no Rio, mas não deu um pio no caso de 400 (sim, 400) haitianos que chegaram a São Paulo desde a Páscoa, boa parte despachados com uma mão na frente e outra atrás, em avião da FAB pelo governo do Acre, que já não pode, nem quer, abrigar esses refugiados. A questão racial, rapidamente levantada no caso Douglas, também foi branida pela autoridades acreanas, que acusaram os paulistas (também chamados de "andar de cima") de racistas, por terem reclamado da forma como foram enviados os haitianos, sem nenhuma comunicação aos governos locais (estadual e municipal), despachando-os como uma mercadoria qualquer e se livrando do problema. Em defesa nenhum representante do movimento negro e afins. Vai ver são um tipo de negro diferente dos nossos. Esse pessoal sempre pronto aos protestos é bem seletivo. O interesse está sempre voltado para casos em que há conflitos com a polícia, como se a polícia fosse uma instituição à parte, sem nada a ver com os maravilhosos governos que eles apoiam (antes que venham - sejam eles do PT, PSDB ou qualquer coisa que o valha). Pobres e negros, brancos e ricos (como se essa fosse a divisão real da nossa sociedade, já que na ótica desse pessoal não tem branco pobre e a polícia só atira em negro, mas deixa pra lá...) toda a nossa sociedade está refém da bandidagem e de polícias despreparadas e a culpa é sim do governo federal, dos governos estaduais e municipais. Melhor seria jogar pedra (é só uma figura de linguagem) na presidente, no governador e no prefeito da sua cidade. Ficar nesse nhem, nhem, nhem contra a polícia cansou. Ou sei lá, vai ver os interesses são outros mesmo.