segunda-feira, 28 de abril de 2014

GOVERNO FEDERAL QUER MAIS CARROS NAS RUAS

Medidas para destravar o crédito na compra de veículos podem ser anunciadas ainda nesta semana, entre elas a ampliação do prazo de financiamento para até 60 meses (cinco anos!). E o governo quer ainda flexibilizar a exigência para que os bancos provisionem 75% do valor dos financiamentos quando o prazo atinge os cinco anos. Estímulos também devem ser criados para permitir uma entrada menos (os bancos costumam exigir algo em torno de 40% do valor do veículo) e pode ser criado uma espécie de fundo garantidor, com aportes das instituições financeiras, que deve complementar as garantias oferecidas pelos clientes. O governo também sinalizou que vai rever a norma que obriga a instalação de rastreadores nos veículos novos, para evitar mais custos para as montadoras e, por consequência, aumento no preço final dos carrinhos. Até crédito para a venda de carros para a Argentina está a ser discutida.

A justifica para tantas benesses é evitar o desemprego no setor. A conversa é velha. Todas as vezes em que caem as vendas (cerca de 2,1%) a indústria automobilística pressiona o governo ameaçando com demissões. Nenhum outro setor da economia recebe tanta atenção do Governo, sabe-se lá os motivos. Ou melhor, sabemos. Interessante é que enquanto o Governo federal petista faz tudo o que pode e até mesmo o que não deveria, para continuar entupindo as nossas cidades com mais carros, o prefeito, petista, de São Paulo, desenvolve uma compreensível, ainda que desastrada, guerra aos automóveis. Afinal, quem tem razão?

Enquanto isso, por todo o Brasil, afora uma medidas paliativas aqui e acolá, nada se faz de realmente competente para dar às nossas cidades um transporte público de qualidade. E o cidadão, como fica? Compra o carrinho e se enfia no congestionamento? Aceita passivamente a criminalização (classe média sem vergonha, como classificam alguns próceres partidários) por ter ousado compra o carro tão facilitado pelo mesmo partido que quer bani-lo da urbe? Vai entender. Mas precisa?



Enquanto isso o transporte público... bem o transporte público todo mundo sabe como anda