sábado, 28 de junho de 2014

E LULA TINHA RAZÃO: O ESTÁDIO É DAS ZELITES

O contexto era outro, mas tinha razão o nosso ex-presidente: nos estádios as zelites, nas ruas o povão. O resultado é essa torcida chocha. Torcer de verdade, empurrar o timão, xingar, pedir raça, exigir compromisso, vaiar (ops, o time adversário, o juiz, a mãe do juiz....), entoar cânticos de guerra.

Empurrar o time, porra!

Pra esse pessoal o selfie já tá de bom tamanho. Dança, canta, faz coraçãozinho e ola quando a câmera de qualquer TV aponta. Fazem ola quando o time está atacando, quase perdem o gol, extasiados com a spidercam, que vai levá-los ao telão.

No campo os jogadores balançam os braços, pedem apoio e empolgação e lá vem aquele musiquinha: eu...sou brasileiro, ro... Com muito orgulho, lho... Com muito amô, ô....  Ah! Tudo bem, tem uma melhorzinha: o campeão voltou, o campeão voltou.... 

Tudo bem, afinal os preços dos ingressos não são mesmo pra qualquer um. O pessoal não tem traquejo de arquibancada mas vai fazendo o que pode. Mas eu gostaria de ver mesmo, lá nas cadeirinhas padrão Fifa, aquele povo abusado, que mata e morre (calma aí, sentido figurado) pelo seu time e sabe empurrar timão ou seleção rumo à vitória. São bem mais divertidos.