Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

ROUSSEFF, LOS MALES DE BRASIL... Y PETROBRAS (de Rafael Vilar)

Publico aqui o comentário do meu amigo Rafael Vilar, que escreve aos domingos em El Deber, de Santa Cruz de la Sierra - Bolívia. Vilar é diretor - proprietário da Vilar Asociados, uma consultoria multimídia, com atuação em setores públicos e privados, partidos políticos e organizações internacionais.
Segue o comentário que ele publica, também, em seu blog: Lo que pienso.

ROUSEFF, LOS MALES DE BRASIL... Y PETROBRAS

Pareciera que un Exú quiso castigar a Brasil porque le han llegado varias plagas: una economía en caída —ya este año vivió una recesión “técnica”, eufemismo maquillador—; insatisfacción con servicios públicos deficientes; caída de los commodities, y una Petrobras desinflándose con su PreSal que se desvanece con un petróleo que se abarata continuamente. Y escándalos que explotan como bubas de una peste negra, la de la corrupción.

En 2014 Dilma Vana da Silva Rousseff ganó en ballotage la Presidencia en Brasil y, aunque reelegida por estrecho margen —3%—, la sexta Presidente de Br…

1Q84 - UMA OBRA BRILHANTE DE HARUKI MURAKAMI

Imagem
Confesso que conheço pouco, a rigor nada mesmo, da literatura japonesa e me encantei com 1Q84, de Haruki Murakami. Um romance nitidamente japonês, em três volumes, sofisticadíssimo, numa narrativa envolvente de amor, mistério e morte, que se passa basicamente em Tóquio, mas com menções internacionalistas, como Proust, Duke Ellington, Janácek, com sua Sinfonietta, que permeia boa parte da trama, Sonny, Cher, Faye Dunaway e, como sugere o título, George Orwell. Sucesso no mundo inteiro, 1Q84 já ultrapassou a marca de 4 milhões de exemplares só no Japão.

Murakami narra duas histórias: de Aomame, uma jovem de profissão arriscada e fatal, que tem necessariamente que permanecer oculta, e a de Tengo, um professor de matemática, que aspira ser escritor e que se envolve numa trama perigosa ao reescrever um romance, inicialmente escrito por uma misteriosa e bela jovem de apenas 17 anos. Uma história aparentemente inocente e juvenil, embora cativante, mas que revela, sem que se perceba, poderos…

PMDB EMPAREDA O PLANALTO, O PT E AGE COMO GOVERNO.

Imagem
Enquanto o PT tenta se desenrolar dos escândalos da Operação Lava-Jato, o governo vê despencar a sua popularidade e o PSDB permanece, como sempre, sem saber o que fazer na oposição, o PMDB vai, na toada de sempre, tomando conta do pedaço e agindo, como se fosse na verdade governo. Comanda o Senado e a Câmara, onde impõe a sua agenda, goste ou não a presidente, que - pelo visto - continua avessa a fazer política. Boa parte disso se deve a inacreditável incompetência do governo em fazer articulação política, principalmente em um momento em que se vê acuado por escândalos que pipocam por todos os lados e na forma atarantada com que enfrenta os gigantescos problemas da economia.
Daí a emprestar a Eduardo Cunha e afins ares de modernidade e de oposição consequente vão milhares e milhares de anos luz. O que se vê é um total desequilíbrio entre os dois poderes, como Congresso impondo derrota após derrota ao governo, mas sem que essas derrotas, ou vitórias, dependendo do ponto de vista, estej…

O HOMEM QUE AMAVA OS CACHORROS

Imagem
O livro do  escritor cubano, Leonardo Padura, é uma leitura bem atual, recomendada principalmente àqueles que ainda se agarram às velhas e surradas teses do marxismo-leninismo, em especial os comunistas tupiniquins. Uma obra de ficção e não ficção, abordando um fato real: o assassinato, a mando de um dos maiores criminosos do século passado, Joseph Stalin de Liev Davidovitch Bronstein, que ficou conhecido como Leon Trotski. O assassino, Jaime Ramón Mercader del Rio Hernández, assim como Trotski, amava os cachorros,
O texto é primoroso, Padura escreve muito bem, que faz com que avancemos, quase sem perceber, sobre as quase 600 páginas do livro, que conta com um excelente prefácio (Um thriller histórico) de Gilberto Maringoni.
Padura aborda um período que vai da Revolução Russa, de 1917, até os primeiros meses da Segunda Guerra Mundial (1940), um tempo em que a atual configuração do mundo foi traçada. Acompanha o declínio de Trotski, sua peregrinação, como exilado, por vários países, …

CONVERSANDO COM DEUS

Imagem
Alguns, incrédulos, podem até fazer blague, mas o fato é que estive conversando com Deus e ele me deu um recado. Confesso que não foi fácil esse interlocutório. Como todos, suponho, sabem, Deus é muito ocupado. São muitos problemas, muitas questões, de todos os cantos do mundo, a exigir a atenção do Todo Poderoso. Tentei primeiro sozinho, por aqueles caminhos que a gente aprende desde pequeno, mas não obtive êxito, por mais que tentasse. Dei o Poderoso por muito ocupado ou, talvez, sabendo que o meu assunto não era deveras importante, tenha me deixado de lado para cuidar de outros mais importantes. Pedi auxílio aos anjos, arcanjos, querubins e serafins, aqueles que não cessam de cantar em uma só voz, e nada, também. Resolvi apelar então para o meu amigo, que nunca me falta nas horas mais difíceis. Hesitei um pouco, pois não costumo incomodá-lo com qualquer coisa, embora o caso não fosse uma coisa qualquer, a bem da verdade.

Assim fui a São Benedito. Estava ocupado, também. Parece que…

FALTA ÁGUA E FALTA LUZ, MAS SOBRA BOBAGEM NO FACE NA BATALHA ENTRE TUCANOS E PETISTAS.

De uns tempos para cá, começou a se reproduzir nas redes a polêmica pré-eleitoral, envolvendo “coxinhas” e “petralhas”, desta feita tendo como pano de fundo o apagão no setor elétrico e a tal de crise hídrica, enquanto Alckmin e Dilma – ó grande ironia – rezam juntos e de mãos dadas, como já disse alguém, por um milagre de São Pedro, que – se não descartado completamente pelo Santo – já o foi por todos os especialistas isentos do assunto.
O país indo pro buraco, sem água e sem luz, e a moçada fazendo concurso pra ver qual governo é o mais incompetente. Ora, meus queridos e amados tucanos e petistas. “Ambos os dois”, como diria um amigo meu pouco afeito a última Flor do Lácio e mais alguns. Desmata-se a Amazônia (põe na conta da Dilma, embora a bem da verdade, não esteja nessa sozinha).Não se fez nada em São Paulo, embora todo mundo que interessa soubesse desde o século passado (sim, quando foi “construído” o tal sistema Cantareira) que o abastecimento de água do Estado estava datado. P…

Última flor do Lácio, inculta e bela, és a um tempo esplendor e sepultura...” *

Sepultura parece ser o destino da última flor do Lácio, a julgar pelos resultados das provas do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Em todo o Brasil nada mais, nada menos que 6 milhões, 193 mil e 565 estudantes fizeram o exame em 2014. E apenas, somente, unicamente, 250 (isso mesmo: 250 indivíduos, apenas) obtiveram a pontuação máxima. Já 8,5%, mais de meio milhão, tiveram nota zero. E mais ou menos a mesma quantidade, para empatar, conseguiram uma nota que atesta que são capazes de se expressar razoavelmente na flor do Lácio.
Trocando em miúdos o resultado é que o Enem lança rumo às escolas superiores e ao mercado de trabalho nada menos que 3 milhões, 452 mil, 543 sujeitos que mal sabem escrever e, por via de consequência, pensam mal.
Vale ressaltar que o resultado para os demais campos do conhecimento em que a avaliação é feita, não difere significativamente do resultado da prova de redação. Ou seja a turma vai mal em tudo.
Em análise feita pelo sociólogo, José de Souza Martins…