quarta-feira, 30 de setembro de 2015

CANDIDATOS A REELEIÇÃO PODEM POR AS BARBAS DE MOLHO


Os prefeitos que estiverem sonhando com a reeleição vão ter que se esforçar para convencer a população de que merecem mais um mandato. A popularidade deles não está nada boa, de Norte a Sul do País.

Segundo pesquisa do IBOPE Inteligência, nada menos que 40% da população avalia a atuação do prefeito de sua cidade como ruim ou péssima e 30% dizem que ela é regular. Os que consideram a gestão do prefeito ótima ou boa não passam dos 28%.

Segundo a pesquisa, os prefeitos do Sudeste têm, em média, 43% de ruim/péssimo, contra apenas 25% de bom/ótimo, o que rende um saldo negativo de 18 pontos. No Norte/Centro-Oeste, esse saldo é ainda maior, de 24 pontos: 45% de avaliações negativas contra 21% de opiniões positivas. Já no Nordeste, o saldo é de apenas 7 pontos, já que 38% avaliam  os prefeitos como de ruim/péssimo contra 31% de ótimo/bom. 

A única região com saldo positivo é o Sul, onde 38% avaliam a atuação dos prefeitos como ótimo/bom contra 30% que avaliam com ruim/ péssima. 

Já os governadores, segundo a mesma pesquisa, realizada entre os dias 12 e 16 de setembro, estão um pouco menos mal avaliados do que os prefeitos. Na média, eles têm 28% de ótimo ou bom, 34% de regular e 32% de ruim ou péssimo. 

Os moradores do Norte/Centro-Oeste e Sul do País são os que mais avaliam negativamente os governadores: 44% de ruim ou péssimo em cada região contra, respectivamente, 23% e 24% de ótimo/bom (saldos negativos de 21 e 20 pontos). No Nordeste e Sudeste, as avaliações negativas são de 24% e 29%, respectivamente, e as positivas, de 31% e 30%, resultando em saldo positivo de 7 pontos no Nordeste e praticamente igualando as avaliações no Sudeste.
Na mesma pesquisa o Ibope avaliou a performance do vice-presidente, Michel Temer, do presidente da Câmara, Eduardo Cunha e Renan Calheiros do Senado.  Os dois primeiros tem as suas atuações aprovadas por cerca de 11% (ótima e boa), já o presidente do Senado chega no máximo aos 8%. Ou seja a situação não está boa pra ninguém.

BRASILEIROS INSATISFEITOS COM A DEMOCRACIA


Todos os dias tem debate nas redes sociais sobre democracia, quem defende, quem ataca, o que é golpe, o que não é... e por aí vai. Por conta disso vale dar uma espiada em pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, entre os dias 12 e 16 deste mês, onde APENAS 15% dos brasileiros AFIRMAM ESTAR SATISFEITOS COM A DEMOCRACIA NO BRASIL (considerando os muito satisfeitos (1%) e os apenas satisfeitos (14%).

O Ibope não investiga os motivos para tamanha insatisfação, mas não se exige grande sabedoria nem formação técnica constatar que existe uma grande decepção com os atores políticos, de todos os matizes, que não oferecem soluções para a crise moral, econômica e social que vivemos.

É o nível mais baixo desde o início da série histórica, realizada anualmente e iniciada em 2008. Até hoje, o menor nível registrado havia sido em 2013, período pós-manifestações, quando 26% estavam satisfeitos com a democracia.

Como consequência, em 2015, a insatisfação dos brasileiros com a democracia no país chega a 81% da população, dos quais 45% estão nada satisfeitos e 36%, pouco satisfeitos.

Homens e mulheres tem índices bem semelhantes em todos os quesitos, com variações de no máximo 5%, quanto a satisfação relativa ap funcionamento da democracia. A fixa etária mais insatisfeita está na faixa dos 45 a 54 anos e os “muito satisfeitos”, com apenas 2% vão dos 24 aos 44 anos.

Em nenhuma categoria, seja por renda, escolaridade, religião, local de moradia ou até mesmo cor da pele foi possível registrar satisfação com o funcionamento da democracia no Brasil superior a 18%, o maior índice registrado apenas em municípios com no máximo 50 mil habitantes.

Dentre os países da América Latina pesquisados pelo Latinobarômetro, só em 2007, no Paraguai, houve um nível de insatisfação próximo ao que se vê hoje no Brasil: 88%. Foi no período pré-eleição de Fernando Lugo, que sofreu impeachment anos depois.