quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

AS ATERRORIZANTES NOTICIAS ECONOMICAS. ATÉ QUANDO?


Confesso que tenho evitado ler os cadernos de economia & negócios dos jornais, em prol da minha sanidade. A política... bom, deixa pra lá. A pergunta que não quer calar é quanto mais o país pode suportar, enquanto o governo, prisioneiro político, nada faz, nada decide, nenhuma perspectiva, um caminho sequer, é proposto à nação para sairmos da depressão.

As notícias de hoje são para levar qualquer um ao pânico: o mercado de veículos recuou para os mesmos níveis de 2008 junto com a indústria de São Paulo que voltou ao mesmo patamar de 2004; (atentem para as datas); os bancos já estão prevendo uma queda do PIB em pelo menos 2,8% para o próximo. Isso sem falar em noticias “menores”, como o fracasso do leilão dos portos e o minério, mais uma commodity, que perde participação na balança comercial.

A outra pergunta que não quer calar: até quando o brasileiro suportará estoicamente essa enxurrada de más notícias, esse descalabro da economia? A tal de voz das ruas, permanece muda ou na melhor das hipóteses rouca. O que temos de manifestações são dos sempre (des)organizados movimentos sociais, que apoiam a presidente, mas rejeitam a sua política econômica, de segmentos em busca de aumentos salariais, lixando-se todos, sem exceção, para o caos econômico. Será que vamos esperar chegarmos a uma situação a la Venezuela para reagirmos?
Triste país que só consegue mobilizar multidões para festejar eventos esportivos e bailar ao Carnaval. Mas convém, quem sabe, acautelar-se, pois se a plebe ignara finalmente perceber que não terá saída, por resolver tomar as ruas. E aí, acreditem, não irão fantasiados, cantando hinos, em convescote pseudamente político. Vão botar pra quebrar.