domingo, 10 de novembro de 2013

INFLAÇÃO NAS ALTURAS E FALTA DE COMIDA AFETAM VENEZUELA

Algo lhe parece familiar?
Para resolver os problemas provocados pela alta de 54,3% nos preços nos últimos 12 meses, a maior desde 2008, e a escassez que já atinge 22,4% dos alimentos, o presidente Nicolás Maduro fez o de sempre: lançou um pacote com mais centralização na distribuição de dólares e ampliou o tabelamento de preços, que vai incluir agora de carros a roupas. E criou mais um órgão: o Centro Nacional de Comércio Exterior, que vai controlar as importações estatais e privadas.
O governo venezuelano parece acreditar mesmo que tudo se resume em tabelamento. Poderia se inspirar em inúmeros exemplos de outros países latino-americanos cujas economias foram pro ralo com a adoção pura e simples dos tais tabelamentos. E que nada se resolve com a criação de mais controle estatal, muito menos com a criação de órgãos, ministérios e congêneres. Maduro quer ainda a aprovação de uma lei, na Assembleia Nacional, para ampliar os seus poderes para legislar sobre temas econômicos. Outra forma fácil de resolver os problemas é acusar empresários e oposição, todos sempre dispostos a sabotagem e golpismo.

Pobre Venezuela, que caiu na enganação do tal ‘socialismo do século 21’, que pelo visto até agora só socializou mesmo foram problemas. E ainda tem gente no Brasil que aplaude esse (des) governo.