quinta-feira, 11 de julho de 2013

ESTADOS UNIDOS ESPIONAM O BRASIL. E o Ministro da Defesa não vai passar mais e-mails...

A notícia de que os EUA espionam o Brasil (e o resto do mundo, diga-se de passagem) está provocando furor nos meios políticos e na administração federal. Enquanto as autoridades admitem que estamos vulneráveis a xeretagem, pública e privada, na internet, (o Ministro da Defesa Celso Amorim, declarou que não vai usar mais e-mails para "assuntos importantes"- ah, ta bom!) os parlamentares movimentam-se para criar uma CPI no Senado para apurar o assunto e o Itamaraty quer explicações do governo americano sobre o assunto, uma "ameaça a soberania nacional". Muita fumaça, muita conversa que não vai dar em nada. Os EUA vão continuar espionando quem quer que seja, já fazem isso há muito tempo e vão continuar fazendo, sem dar a mínima bola para o esperneio geral, Brasil incluso, desse pessoal que se diz - agora - surpreso com a fragilidade das comunicações oficiais, sejam lá quais forem os meios que usam. Espiona que pode, o resto que se previna.
O cômico desse história toda é que o tal aparato de espionagem não foi capaz de descobrir se Edward Snowden, o jovem que revelou ao mundo o esquema, estava ou não a bordo do avião presidencial boliviano. Com isso o presidente Evo Morales foi humilhado por várias nações que impediram o seu avião de pousar em seus territórios para abastecer vindo de uma visita a Rússia. E tudo ficou por isso mesmo, apesar dos esperneios.
Resta saber se Obama vai ser chamado para depor na CPI do Senado.