quinta-feira, 11 de julho de 2013

ROYALTIES. VOCÊ VIU ALGUM POR AÍ?

Nunca se falou tanto em "royalties" como recentemente. Para a fórmula miraculosa para qualquer panacéia. Vai resolver o problema da educação da saúde, do isso e do aquilo. Mas aonde estão estão esses benditos royalties? Do petróleo, afirmam os precipitados, principalmente do tal de pré-sal, outra coisa milagrosa, cujos efeitos ainda ainda não vimos. Os contratos já firmados não podem ser modificados ao bel prazer, os novos... bem no dia em que qualquer coisa começar a gerar riquezas e tenham, pela graça de Deus, algum royalties a ser pago talvez vejamos, então, alguma melhoria na saúde, na educação... Tenhamos fé, nos royalties e em Deus.
Em tempo:

Na antiguidade, royalties eram os valores pagos por terceiros ao rei ou nobre, como compensação pela extração de recursos naturais existentes em suas terras, como madeira,águarecursos minerais ou outros recursos naturais, incluindo, muitas vezes, a caça e pesca, ou ainda, pelo uso de bens de propriedade do rei, como pontes ou moinhos.
Na atualidade, royalty é o termo utilizado para designar a importância paga ao detentor ou proprietário ou um território, recurso naturalprodutomarcapatente de produto, processo de produção, ou obra original, pelos direitos de exploração, uso, distribuição ou comercialização do referido produto ou tecnologia. Os detentores ou proprietários recebem porcentagens geralmente pré-fixadas das vendas finais ou dos lucros obtidos por aquele que extrai o recurso natural, ou fabrica e comercializa um produto ou tecnologia, assim como o concurso de suas marcas ou dos lucros obtidos com essas operações 1 . O proprietário em questão pode ser uma pessoa física, uma empresa ou o próprio Estado.
Royalties são, atualmente, a cobrança de impostos da extração de um recurso natural de uma determinada região
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.